D. Sebastião esqueceu-se de ligar as luzes

O Carnaval é quando um Homem quiser. Mas isso nada está relacionado com o tema de hoje.

Ontem choveu bastante. E fez nevoeiro. Pelo menos em Serapilheira da Serra.
Hoje, estava eu na cozinha, a comer uma torrada e a beber um whisky com duas pedras de gelo, quando reparo pela janela que o nevoeiro ainda não se tinha ido embora totalmente.

Tomei um duche de água fria para despertar as ideias, vesti o fato e peguei na mota.

Na estrada lembrei-me de D. Sebastião. Deve ser realmente bastante complicado fazer o trajecto matutino a cavalo, sem ligar as luzes.
E é assim que reza a história: D. Sebastião saiu num belo dia de nevoeiro, sem ligar os médios. E perdeu-se. Nunca mais ninguém o viu.

Temo que este acontecimento perdure nos nossos tempos e continuem a desaparecer pessoas. Porque ainda ontem e hoje vi inúmeros condutores com as luzes desligadas. São especiais, devem com certeza achar que as luzes só se utilizam quando está de noite. Porque quando existe uma cortina de água e nevoeiro, e não se vê um palmo à frente, não são necessárias luzes para nada.

E se não tivesse as luzes acesas, viam-no?! Cambada de atrasados...

E na expectativa de perder mais uns leitores, adiciono aqui também os condutores dos "mínimos". Mas aqui sou eu o especial: na minha escola de condução, ensinaram-me que os mínimos são luzes de presença, que são apenas utilizadas para sinalizar-nos quando estamos parados (diferente de estar estacionado).

Na verdade, quando conduzimos, se necessitamos de luz, são sempre os médios a serem utilizados. Os máximos, em situações de segurança ou quando não temos outros condutores na estrada. É, aliás, por isso, que as motas andam sempre com os médios (e a minha nem mínimos tem).

Sou especial. Só uso médios. E ligo-os quando chove bastante e faz nevoeiro. Vejam, até chego a usar as luzes de nevoeiro quando é preciso!

Irei tratar-me nos locais próprios.

16 comentários:

  1. Um whisky com duas pedras de gelo?? Tens mesmo ar de quem faz isso logo pela manhã. É duplo?
    Isso dos médios é mais que verdade. Aprendi o mesmo na escola de condução. Mínimos só se estivermos parados. De resto sempre médios. Secalhar devia ir-me tratar contigo... Porque já tive várias discussões sobre esse assunto.

    ResponderEliminar
  2. ahahah
    Os condutores do mínimos, esses espécimes raros que são sempre motivo das neuras condutoras do meu irmão mais novo!

    No outro dia, o meu pai repreendeu-me porque eu vinha com os médios ligados, 'para quê? Os mínimos chegam!'. 'Porque os ignorantes do código da estrada é que não percebem para que se usam ambos!', respondi eu.

    Maneiras, que há que contar sempre com a estupidez dos outros e El-Rei D. Sebastião devia comprar uma ventoinha aos marroquinos.

    ResponderEliminar
  3. És mesmo maluco! Deverias também perder-te no meio do nevoeiro. Tens a mania, é o que é!

    ResponderEliminar
  4. O que eu me enervei hoje com isso! Um grande bem-haja!

    ResponderEliminar
  5. Fogo...ainda hoje pensei nisso.Atrasados é pouco.

    ResponderEliminar
  6. Finalmente alguém se lembra de D. Sebastião num dia de nevoeiro...

    Bravo!

    Não sei de El-Rei já percebeu que esta é mesmo a altura certa para aparecer na neblina. Mas acredito que pode ser um dos anónimos do Simão Escuta e leia este post. Assim verá que aguardamos impacientemente pela SALVAÇÃO!

    *

    ResponderEliminar
  7. Pelos vistos tenho de tratar-me também.
    Mas, além da bela espécie que usa os mínimos ou nenhuns em dias de nevoeiro, não podes esquecer aqueles que, sem nevoeiro algum, andam com as luzes do mesmo ligadas.
    Estes últimos, adoro-os... estes sim precisam de tratar-se.

    ResponderEliminar
  8. Ainda ontem reparei no belo cenário de que falas, daqueles condutores eximios que gostam de manter a tradição do D. Sebastião viva.
    Muitas vezes só via os carros que estavam À minha frente quando já estava em cima deles, a sorte deles, e a minha, é que sou uma condutora cuidadosa e até ando devagar (quando tem que ser)!

    So comer torradas com wishky, vestir fato e zarpar de mota hum?... Great!

    ResponderEliminar
  9. A crise chegou aos médios. Ou os médios sempre estiveram em crise. Eu, se peco, é por excesso. Ficou-me de uma semana a conduzir na Sicília. Lá toda a gente conduz de médios ligados, mesmo debaixo de um sol abrasador. Percebi que era protecção contra os que estão constantemente em doidas ultrapassagens.
    Os mafiosos da Sicília é que a sabem toda.

    ResponderEliminar
  10. Só é pena que nessa escola de condução não te tenham ensinado que se conduzir não beba... ;)

    ResponderEliminar
  11. Deves ser muita tolinho, o que está a dar são ultrapassagens loucas, com nevoeiro, sem luzes.
    Se for perto de semáforos ainda melhor! ;)

    ResponderEliminar
  12. Por esta terra muitas vezes nublosa, (mas nem sempre sim?), as gentes por estarem habituadas até são bastante respeitadoras, imaginem só que até são como tu e até usam faróis de nevoeiro!!!!

    ResponderEliminar
  13. Mas eu sou a unica que não viu nevoeiro?

    2w

    ResponderEliminar
  14. maria álcacer quibir10 de maio de 2012 às 00:39

    BOA NOITE!
    Olá comentadores menos atentos!

    A fim de colmatar uma lacuna que verifiquei em alguns comentários, em relação à última morada de D. Sebastião, esclareço:
    Os restos mortais de D. Sebastião já se encontram entre nós e mtº. tranquilos, pois os nossos amigos Marroquinos tiveram a gentileza de nos devolverem aquele histórico que secumbiu à falta de inteligência e à ganância do poder na "flôr" da idade.
    Descanse em paz!
    Esqueçamos o nevoeiro.
    Chegou o Sol o elixir da vida!
    Fiquemos felizes e radiantes.
    BeijK:).

    ResponderEliminar
  15. É isso e carro modernos que já vêm sem piscas....

    ResponderEliminar
  16. Os condutores devem pensar "já que consigo ver, não preciso de acender as luzes" Errado!!

    Cambada de anormais!

    ResponderEliminar